Minicursos

O IX Colóquio da Pós-Graduação em Educação Científica e Formação de Professores (PPG-ECFP), firmou uma parceria com o Rotaract Club Jequié (“uma rede mundial que conecta jovens líderes de diversos países, culturas e áreas para unir perspectivas diversas e criar relações duradoras para realização de ações na comunidade e em todo mundo”), sendo assim, com a realização do evento iremos realizar uma ação beneficente em prol do Lar dos Idosos de Jequié –BA, para concretizá-la as inscrições nos minicursos não será por meio de pagamento em espécie, mas com a doação de 1 kg de alimento não perecível e 1 material de limpeza, a  inscrição no minicurso está condicionada mediante a entrega dos mesmos, também é necessário estar inscrito no evento como ouvinte.

A entrega deve ser realizada até dia 01/04/2020.

Link para inscrição do minicurso:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdk8LQfrlpBPO113q05zYP4meySUmz8Flo0F3frORANtVSuDQ/viewform

RELAÇÃO DE MINICURSOS

O DESENVOLVIMENTO DO ENSINO ATRAVÉS DA PEDAGOGIA DA PERGUNTA.
Temática Ensino das Ciências.
 Público – alvo Estudantes de graduação e professores da educação básica.
Vagas 20
Resumo

 

 

Historicamente, um lugar, um único lugar foi reservado aos estudantes durante o processo de ensino-aprendizagem: o de ouvinte. A partir desse lugar, cabia/cabe ao aluno o papel de escutar os discursos do professor, copiar as informações e reproduzir as respostas nos instrumentos avaliativos. Feito isso, muitos daqueles que participaram ou ainda participam desse processo esquecem o que supostamente aprenderam e, dessa forma se vingam da disciplina, da escola e do professor. Culpá-los por isso? Para Mendes (1935), comentando acerca do ensino de História baseado nesses pressupostos, eles [os estudantes] merecem absolvição. Ao compreender a atitude dos estudantes diante do processo de ensino, o educador acima citado desloca o problema da não aprendizagem para as posturas metodológicas adotadas e utilizadas pelos professores nas salas de aulas. Mesmo considerando a assertiva de Mendes (1935) como reducionista, não há porque discordar completamente dela, principalmente depois de assistirmos determinadas aulas. Mortimer e Scott (2002), ao abordarem a atividade discursiva como ferramenta para o desenvolvimento das aulas de ciências, salientam a existência de um discurso autoritário, caracterizado como aquele em que o professor considera o que o estudante tem a dizer apenas do ponto de vista do discurso científico escolar que está sendo construído. Para eles, “este segundo tipo de interação constitui uma abordagem comunicativa de autoridade, na qual apenas uma voz é ouvida e não há inter-animação de ideias. (MORTIMER; SCOTT, 2002, p.285). Contrapondo-se a esse discurso, teríamos o dialógico eivado por uma relação aberta e horizontalizada. É a partir dele que pensamos em aulas participativas, dinâmicas, interacionistas, capazes de minimizar a tão propalada indisciplina, falta de atenção e o desprezo dos jovens adolescentes pelo prazer de aprender e é sobre ele que queremos comunicar.

PALAVRAS CHAVES: Passividade. Diálogo. Pergunta.

Ministrante (s) Mestre – Antonio Vilas Boas
ROBÓTICA CRIATIVA COM A BBC MICRO: BIT.
Temática Metodologias ativas: pensamento computacional
Público – alvo Discentes de Graduação, Pós-Graduação, Docentes da Educação Superior, básica.
Vagas 20
Resumo

 

 

Neste minicurso, pretendemos fornecer subsídios para a compreensão de conceitos básicos sobre pensamento computacional, programação e aplicação prática da utilização dos sensores, leds, motores e atuadores ligados à placa micro: bit em conjunto com a placa de expansão e uma plataforma online para programação em blocos Makecode da Microsoft.

PALAVRAS CHAVES:  Metodologias ativas. Pensamento computacional. Micro: bit. Robótica criativa.

Ministrante (s)

 

Especialista – André Carlos Pereira da Silva

Especialista – Patrícia Alves de Oliveira

DO DISCIPLINAR AO INTERDISCIPLINAR: FUNDAMENTOS TEÓRICOS E PRÁTICOS PARA ELABORAÇÃO DE INTERVENÇÕES EDUCACIONAIS.
Temática Formação de professores e metodologias alternativas para o ensino de Ciências e Matemática.
Público – alvo Professores da educação básica e alunos dos cursos de graduação/pós-graduação da área de ensino de ciências naturais e matemática.
Vagas 30
Resumo

 

 

Este minicurso busca abordar fundamentos teóricos e também apresentar possibilidades metodológicas para o trabalho prático de caráter interdisciplinar com um olhar para o ensino de ciências na escola contemporânea, organizada em disciplinas. Para isso, organizamos a proposta em algumas etapas que são complementares no processo de assimilação das ideias centrais do minicurso. A formação visa também, que os participantes do minicurso possam compartilhar suas experiências à luz da temática.

 PALAVRAS CHAVES: Interdisciplinaridade; Ensino de Ciências; metodologias de ensino.

 Ministrante (s)

 

Mestrando – Diogo Ricardo Gaspar Pires

Mestrando – João Paulo Magalhães dos Santos

JOGOS E APLICATIVOS COM REALIDADE AUMENTADA PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA.
Temática Recursos, Processos e Materiais didáticos para o Ensino De Ciências e Matemática (Md)
Público – alvo Professores da Educação Básica (em especial os professores de Matemática, Ciências e Biologia.
Vagas 20
Resumo

 

 

O minicurso propõe aos professores da Educação Básica, em especial os lecionam Matemática, Ciências e Biologia, a experimentação, a análise, a elaboração de atividades pedagógicas com aplicativos e jogos que utilizam a Realidade Aumentada (RA) para exploração dos conteúdos. Segundo Kirner e Tori (2006, pág.22), a RA “mantém o usuário no seu ambiente físico e transporta o ambiente virtual para o espaço do usuário no seu ambiente físico e transporta o ambiente virtual para o espaço do usuário, permitindo a interação com o mundo virtual, de maneira mais natural e sem necessidade de treinamento ou adaptação”.

PALAVRAS CHAVES: Jogos; Aplicativos; Realidade Aumentada; Educação Básica; Recursos Didáticos.

Ministrante (s)  Mestra – Adriana Santos Sousa.
A LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA.
Temática Educação Especial.
Público – alvo Professores da Educação Especial.
Vagas 15
Resumo

 

 

Lev Vygostk (1994) afirma que a brincadeira fornece ampla estrutura básica para mudanças das necessidades e da consciência, criando um novo tipo de atitude em relação ao real. Nela, aparece a ação na esfera imaginativa, numa situação de faz de conta. A partir dessa afirmativa e com real conhecimento do contexto escolar, é que surge a proposta de se trabalhar desde muito cedo os aspectos empáticos nas relações da criança com outra criança, sem perder de vista suas singularidades ou deficiências. O livro “O Vôo da Borboletinha Azul” aborda essa temática de maneira sensível, real e lúdica através das relações com a brincadeira infantil, utilizando como base pedagógica os personagens do livro, bonecas de pano personalizadas, enfatizando aspectos da Paralisia Cerebral como uma deficiência a ser vista e compreendida em suas condições dentro do contexto escolar.

 PALAVRAS-CHAVE: Criança. Brincar. Inclusão. Empatia. Escola.

Ministrante (s)

 

Especialista – Rubênia Santana Hohlenwerger Galvão.

 

METODOLOGIA DE CORDEL PARA O ENSINO E DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA.
Temática Utilização de cordel para o ensino e divulgação científica.
Público – alvo Interessados na temática ou graduados e graduandos preferencialmente nas licenciaturas.
Vagas 10
Resumo

 

 

O cordel é uma metodologia utilizada como elemento cultural, em virtude dessa característica entendemos que o cordel pode ser um instrumento válido para propagar conhecimento, tendo em vista a sua melodia, linguagem simples, e, principalmente a sua maneira peculiar de envolver os elementos culturais. A utilização do cordel como recurso para a educação oportuniza tanto o acesso de conhecimento para população, quanto na sala de aula, pois, essa ferramenta dispõe de uma série de recursos que contribuirão com as necessidades de aprendizagem, sendo estes: a leitura, a linguagem não verbal, a interpretação audiovisual do cordel em relação à letra, promovendo a socialização e cidadania. (CARREIRO et al. 2012). Nesse contexto, o uso da literatura de cordel na sala de aula proporciona a contextualização que pode resultar em aprendizagens significativas, uma vez que são identificados aspectos culturais com os contextos presentes nesse recurso. Assim, ultrapassa o âmbito conceitual, portanto, o cordel como uma estratégia metodológica para a compreensão e disseminação de fatos (CONDE; LIMA; BAY 2013).

PALAVRAS CHAVES: Cordel. Ensino de Ciências. Divulgação Científica.

Ministrante (s)

 

Mestranda – Rutiléa Mendes de Morais.

Especialista – Françoisy Santana Mendes de Morais.

INGLÊS INSTRUMENTAL PARA PROFICIÊNCIA – MESTRADO E DOUTORADO.
Público – alvo Discentes de graduação e pós-graduação.
Vagas 30
Resumo

 

 

O panorama científico nacional, revela uma sólida expansão das pesquisas sobre os mais diversos assuntos, com acesso a publicações em línguas estrangeiras, principalmente em inglês. Por esse motivo, a preparação de professores para a prova de proficiência em inglês tem sido uma questão de grande interesse na comunidade acadêmica. O nome “Inglês Instrumental” consiste no treinamento “instrumental” da língua – sendo também conhecido como Inglês para fins Específicos (ESP) – e tem como objetivo principal capacitar o aluno a ler e compreender textos acadêmicos em inglês, fazendo uso de estratégias e técnicas de leitura específicas dentro de um esquema de atividades de caráter autônomo.

PALAVRAS CHAVES: Inglês instrumental. Textos acadêmicos. Proficiência.

 Ministrante (s)  Especialista – Marta Luciana Reis Rocha.
ENSINO DA MATEMÁTICA: A VALORIZAÇÃO DA CULTURA PODE CONTRIBUIR PARA UM NOVO SABER, VERDADE E PENSAMENTO.
Temática Recursos, processos e materiais didáticos para o Ensino de Ciências e Matemática (MD)
Público – alvo Educadores e educando
Vagas 15
Resumo

 

 

Este minicurso tentará provocar um deslocamento com o intuito de refletir o processo de construção do ensino da matemática, suas relações com as questões de gênero/ciência. Utilizaremos uma abordagem sobre as noções de verdade e pensamento como ferramentas para refletir a matemática, como apoio na filosofia da diferença (s) de Michel Foucault e Deleuze. Com o intuito de provocar a criação de espaços que acolham outras maneiras de pensar, agir, sentir e interpretar o mundo através das relações mais amplas e dinâmicas. Na tentativa de entender saberes, cultura e conhecimento empírico dentro das relações étnicos raciais.

 PALAVRAS CHAVES: Cultura, Matemática, Saberes.

 Ministrante (s)

 

Mestranda – Valtiângeli Rodrigues da Silva Moitinho.

Mestranda – Miriam Conceição da Silva.

ENSINO DE CIÊNCIAS PARA ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA: POR QUE, PARA QUÊ E COMO?
Temática Ensino de Ciências e a perspectiva inclusiva.
Público – alvo Estudantes da graduação e pós-graduação, professores da Educação Básica e demais interessados na temática.
Vagas 20
Resumo

 

 

Esta proposta de minicurso é pensada a partir da temática central do evento “Uma década de Pesquisa em Educação em Ciências e Matemática”. Seu público alvo são estudantes da graduação e pós- graduação, professores da educação básica e interessados em conhecer e/ou discutir sobre a referida temática, visa portanto promover um ambiente reflexivo e passível de discussões sobre o processo de inclusão de estudantes com deficiência nas classes regulares. Diante disso, buscamos compreender por meio de resultados de pesquisas já realizadas ao longo dos últimos 15 anos e como a política de valorização dos direitos humanos está se efetivando? Como a equidade de direitos está sendo garantida na prática para este público? De que forma o Ensino de Ciências pode favorecer a alfabetização científica de pessoas com deficiência? Desse modo, diante das discussões apresentadas a partir dos questionamentos e ancorados na proposta didática dos Três Momentos Pedagógicos (3 MPs), destacamos a necessidade de se promover um processo de ensino aprendizagem com foco na emancipação dos sujeitos, em especial, dos alunos com deficiência. Com este fio condutor iremos utilizar a metodologia qualitativa e participativa.
Ministrante (s)

 

Mestra- Maíra Souza Machado.

Mestra- Kamila Nunes Fonseca.

COMO ESCREVER UM TCC, ARTIGO OU PROJETO DE MESTRADO.
Temática Redação Científica.
Público – alvo Alunos das diversas áreas do conhecimento e professores da educação básica.
Vagas 15
Resumo

 

 

O presente minicurso consiste em discutir o instrumental científico metodológico básico, apresentando os conceitos de metodologia científica e os principais métodos de pesquisas metodológicas com os atributos da pesquisa qualitativa. Para a execução da proposta, será realizada uma aula expositiva e dialogada sobre como elaborar um texto científico (artigo/ monografia/ projeto de mestrado) apresentando e debatendo detalhadamente todas as partes constituintes: Introdução, referencial teórico, metodologia, resultados e discussão, considerações finais e referências bibliográficas.

PALAVRAS CHAVES: Escrita científica; Pesquisa qualitativa; Redação científica.

Ministrante (s)

 

Mestrando – Lucas da Conceição Santos.

Mestranda – Márcia Martins Ornelas.

DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA NA REDE: ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA EM VÍDEOS NO YOUTUBE.
Temática Divulgação Científica / Alfabetização Científica.
Público – alvo Graduandos e pós-graduandos dos cursos de licenciatura na área das ciências e da área de Ensino de Ciências, bem como a professores em exercícios na Educação Básica ou no Ensino Superior.
Vagas 20
Resumo

 

 

A divulgação científica encontrou na internet um espaço ainda mais privilegiado para a disseminação de conhecimento científico e, nos últimos anos, o Youtube se tornou o maior aglutinador de vídeos e materiais nesta temática. Desta forma, a plataforma pode se tornar um grande aliado para o trabalho do professor de ciências, em especial na tarefa de promoção de alfabetização científica de seus estudantes, no desenvolvimento de práticas que contribuam para a atuação crítica e responsável destes indivíduos no mundo ao seu redor. Este minicurso, assim, é voltado para professores da área das ciências, em serviço ou em formação, com o objetivo de incentivar a capacidade de análise de vídeos do Youtube e de outros materiais de divulgação científica, numa perspectiva da alfabetização cientifica. O minicurso se iniciará com uma parte teórica, com o desenvolvimento do histórico e dos principais conceitos sobre divulgação científica e alfabetização científica, para então desenvolver a metodologia para análise dos materiais de divulgação científica, de forma a permitir a finalização do curso com a prática e discussão de análise de vídeos escolhidos pelos participantes.

PALAVRAS CHAVES: Divulgação Científica, Alfabetização Científica, Youtube.

Ministrante (s) Doutor – Rafael Moreira Siqueira.
COMO ALCANÇAR O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NA CIDADE DE JEQUIÉ-BA?
Temática Educação Ambiental.
Público – alvo Alunos das diversas áreas do conhecimento e professores da Educação Básica.
Vagas 15
Resumo

 

 

O presente minicurso consiste em debater os problemas ambientais existentes na cidade de Jequié-Ba e discutir a práticas necessárias para o alcance do desenvolvimento sustentável na cidade. O minicurso será realizado a partir de dois momentos: No primeiro serão debatidos alguns preceitos sobre Educação Ambiental e Sustentabilidade, usando de teóricos renomados nesses campos de estudos, entre eles Leff (2001), Loureiro (2011) e Silva (2019). Consecutivamente serão apresentadas as problemáticas ambientais da cidade de Jequié-BA, conforme destacadas no trabalho de Cardoso (2019) e debatido sobre quais os posicionamentos a serem tomados para a solução/mediação desses problemas. No segundo momento será realizada uma aula prática para a construção de modelos recicláveis e conscientização dos sujeitos envolvidos, buscando ponderar sobre algumas estratégias para se alcançar o desenvolvimento sustentável na cidade.

PALAVRAS CHAVES: Educação ambiental; Jequié-BA; Sustentabilidade.

Ministrante (s)

 

Graduando – Rafael Silva Cardoso.

Graduanda – Camila de Souza Guimarães.

A INCLUSÃO DAS AFRICANIDADES NO CURRÍCULO ESCOLAR: OS JOGOS DE ORIGEM AFRICANA E SUAS CONTRIBUIÇÕES NA EDUCAÇÃO BÁSICA.
Temática A diversidade em sala de aula.
Público – alvo Estudantes, professores e interessados na temática.
Vagas 25
Resumo

  

Uma educação que atente a diversidade coloca a todos os educadores no desafio de buscar novas metodologias que estimule o senso crítico e promova a inclusão nas propostas pedagógicas e curriculares. Por esse motivo a proposta do minicurso é destacar as contribuições dos jogos de origem africana na sala de aula, a aplicabilidade da Lei de nº 10.639/03, sua complementação Lei de nº11.645/08.

PALAVRAS CHAVES: Educação, Diversidade, Raciocínio Lógico.

Ministrante (s) Mestra – Fernanda Lícia de Santana Barros.
EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRICIONAL: ABORDAGENS E METODOLOGIAS.
Temática Educação alimentar e nutricional.
Público – alvo Docentes da educação básica, estudantes de graduação das licenciaturas e cursos da área da saúde, profissionais da atenção básica à saúde.
Vagas 35
Resumo

 

 

O minicurso aborda um tema cada vez mais problemático na sociedade contemporânea: a construção de hábitos alimentares saudáveis. A partir da Lei 13666/2018, a Educação Alimentar foi incluída no currículo da educação básica, mas os cursos de licenciatura pouco abordam o tema. Assim, com uma série de dinâmicas que podem ser reproduzidas em sala de aula, vamos problematizar hábitos e escolhas alimentares e hábitos de vida, o que nos possibilitará refletir sobre os principais aspectos da educação alimentar. Ao final da oficina também veremos alguns indicativos sobre como elaborar uma proposta de educação alimentar a ser implementada no contexto escolar.

PALAVRAS CHAVES: Educação alimentar e nutricional; Formação de professores.

Ministrante (s)

 

Doutora – Adriane Halmann.

Doutora – Arlete Ramos dos Santos.

INTRODUÇÃO À PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA
 Temática Educação Matemática
Público – alvo Docentes da educação básica e do ensino superior, estudantes da graduação, pesquisadores da Educação Matemática
Vagas 30
Resumo

 

 

O minicurso tem como objetivo apresentar alguns pressupostos teóricos e metodológicos utilizados em pesquisas no campo da Psicologia da Educação Matemática. Serão abordados aspectos cognitivos, tais como habilidades matemáticas, resolução de problemas e formação conceitual e aspectos afetivos, como atitudes e crenças de autoeficácia, relacionados à aprendizagem da Matemática escolar.
 

Ministrante (s)

 

Doutor – Nelson Antonio Pirola.