Apresentação

O que é Educação do Campo? Quem tem necessidade da escola do campo? Porque as escolas do campo estão sendo fechadas? Onde e em que condições as crianças do campo estão indo estudar? Que políticas públicas tratam do direito a escola do campo? Que projeto de Educação “pública” é esse e a quem interessa?

Essas perguntas tem repostas e tratam de um contexto histórico brasileiro que há mais de 60 anos revela os processos de esvaziamento do campo, estimulando povos, comunidades e trabalhadores a migrarem para regiões urbanas. Porque esse fenômeno tem se acelerado nas últimas décadas? O que a Educação (formação escolar básica, profissionalizante, técnica e superior) tem a ver com esse fenômeno?

Para que serve o sistema educacional público se não for para lutar contra a alienação? Essa pergunta foi feita por Mészáros (2008), ele defendia a ideia de que a educação precisa ser ativa nos seus diversos espaços de socialização de conhecimento, afirmava que a educação necessária deve andar ao lado da luta da transformação radical do atual modelo econômico.

Diante do contexto atual, de avanço radical da reestruturação do capital e de um significativo recuo das lutas sociais, nos perguntamos: Como alterar os processos hegemônicos, alienantes e reificadores da consciência provocados pela sociabilidade capitalista? É possível retomar a Educação como uma das dimensões da emancipação humana?

O que a Educação do Campo tem a ver com essas relevantes perguntas?

O II SEMINÁRIO EM EDUCAÇÃO DO CAMPO E PESQUISA DO PPGEn estará tratando dessas questões com o objetivo de socializar experiências, práticas sociais, conhecimentos e pesquisas embasados numa visão crítica e emancipadora.