Sobre

Ampliando os produtos de comunicação da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), a Assessoria de Comunicação lançou, em fevereiro de 2016, a Revista Eletrônica da Instituição. Em formato digital, a publicação busca informar sobre os mais diversos aspectos da Universidade, dentro dos padrões jornalísticos já adotados pela Assessoria.

Com edições gerais e temáticas, a Revista Eletrônica agrega conteúdo, praticidade no acesso e proximidade com seu público. Lado a lado com as mídias sociais da Uesb, a publicação vai mostrar os três campi de óticas diferentes, contando sempre com a opinião e interação do leitor.

Sobre a Uesb

A Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia completa 35 anos em 2016. Precisamente no dia 25 de agosto de 1981, foi assinado o Decreto n.º 28.169, pelo então Governador Antônio Carlos Magalhães, que autorizava o funcionamento da Instituição nos campi de Vitória da Conquista, Jequié e Itapetinga. Sua história, porém, tem início 12 anos antes, com a criação da Faculdade de Formação de Professores de Vitória da Conquista, com sede onde atualmente funciona a Escola Estadual Adélia Teixeira. Era o início da política de expansão e interiorização do Ensino Superior na Bahia, impulsionada pelo Governador, à época, Luiz Viana Filho. No ano seguinte, como continuidade dessa política, foi criada a Faculdade de Formação de Professores de Jequié. Nos dois municípios, os cursos de Licenciatura curta em Letras e Estudos Sociais foram os primeiros a ser implantados.

Em 1980, já com papel de destaque na região, a Faculdade de Formação de Professores se torna a Fundação Educacional do Sudoeste da Bahia. No mesmo ano, a Fundação deu lugar à Autarquia Educacional. Em Vitória da Conquista, a sede passou a ser a Fazenda Candeias, uma área de 260 hectares, antiga propriedade do casal Jorge Teixeira Alves da Silva e Adélia Teixeira da Silva, desapropriada em favor do Governo da Bahia, que a destinou à educação superior. Em Jequié, a sede da Autarquia passou a ser a Fazenda Provisão 2, que pertencia ao casal Antônio Lomanto Júnior e Hildete Brito Lomanto. Posteriormente, a Fazenda Campinas, doada à Instituição pela Sociedade Brito Lobo Ltda, e uma área adquirida junto à Loja Maçônica Obreiros do Rio de Contas, passaram a integrar o patrimônio do campus. Nessa mesma época nasceu o campus de Itapetinga, que, a princípio, manteve suas atividades nos Colégios Estaduais Agroindustrial e Jandiroba. Somente em 1988, após intenso movimento no ano anterior, o Governo do Estado, com mediação da Prefeitura Municipal, adquiriu uma fazenda pertencente à família de Juvino Oliveira, local onde atualmente funciona o campus de Itapetinga, que leva o nome do seu antigo proprietário. Os primeiros cursos implantados após a extinção da Faculdade de Formação de Professores foram: Agronomia e Administração (em Vitória da Conquista); Enfermagem (em Jequié); e Zootecnia (em Itapetinga).

Com o Decreto n.º 28.169/81, a Autarquia deu lugar à Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. De lá para cá, a Instituição cresceu e se firmou como um dos principais vetores do desenvolvimento regional, através dos milhares de profissionais formados, da injeção direta de receita na economia, da construção de um capital humano, social, cultural e científico de valor inestimável. Ao longo de três décadas e meia, tendo como legado o alicerce da antiga Faculdade de Formação de Professores, a Uesb construiu uma história de protagonismo. A injeção direta de recursos na economia regional por parte da Universidade pode ser resumida em dois aspectos: o esporádico, que engloba a realização de eventos e o impulso ao turismo de negócios; e o contínuo, não apenas através do pagamento de professores e servidores técnico-administrativos, mas também das despesas dos estudantes oriundos de outros municípios e Estados brasileiros. A Universidade termina 2015 com 47 cursos de graduação. De Zootecnia a Engenharia de Alimentos, de Enfermagem a Odontologia, de Letras a Medicina, passando por História, Geografia, Direito, Pedagogia, Cinema e Vídeo, Jornalismo! Acrescentem-se, ainda, 19 mestrados e 6 doutorados próprios. Estudantes, professores e servidores técnico-administrativos movimentando a engrenagem de uma das principais instituições de ensino superior do Estado, com reconhecimento Brasil afora.

img-itap

img-jqee

img-vtca