Graduação

Acessibilidade: assegurando a inclusão

por Emanuela Lisboa

Começou o Vestibular e mais uma vez um suporte especial foi disponibilizado pela Universidade com o objetivo de auxiliar os candidatos com deficiência. Uma equipe de profissionais do Núcleo de Acessibilidade e Inclusão para Pessoas com Deficiência (Naipd) está de plantão para assegurar que esses vestibulandos façam a prova com tranquilidade e segurança.

Mais de 90 estudantes com deficiência buscam ingressar na Uesb e realizar seu sonho por meio do Vestibular 2017.

A coordenadora do Naipd em Vitória da Conquista, Rozilda Magalhaes, falou desse momento: “Para a equipe que está por trás do Vestibular é sempre um desafio, mas ao mesmo tempo é um prazer estar promovendo essa acessibilidade tão sonhada para as pessoas com deficiência. Para esse candidato, o Vestibular é mais do que uma prova, é na verdade um projeto de vida. Segundo Magalhães, o exame é só o primeiro passo desse projeto, após a aprovação a assistência continua sendo feita na Universidade por meio de material adaptado, oferta de intérprete, textos nos diversos formatos, provas ampliadas, na tentativa de atender às necessidades de cada um. “A Uesb tem esse respeito por essa pessoa com deficiência e quer ajudar a construir esse mundo plural e valorizar a potencialidade, as habilidades de cada um”, concluiu a coordenadora.

Rosilene Oliveira Mendes é deficiente visual e está concorrendo a uma vaga para o curso de Psicologia. “Cada necessidade exige um tipo de apoio, então esse suporte que nós recebemos tanto na Instituição quanto pra fazer as provas é fundamental, porque facilita o nosso ingresso na Universidade”, disse a candidata, que também é estudante do primeiro semestre do curso de Ciências Sociais da Uesb.

“Esse é meu terceiro vestibular na Uesb e graças a Deus sempre foi tudo muito bem. As meninas, ledora e fiscal, não tenho que reclamar. O acesso ao setor foi facílimo, com rampas, acessibilidade boa. Escolhi a Uesb por ser uma das melhores faculdades para mim”, ressaltou Julimar Oliveira Sampaio, deficiente visual, 35 anos, da cidade de Jequié.

A inclusão também abrange o serviço de fiscalização do Vestibular. Ricardo da Silva, que atua como fiscal pela segunda vez, falou sobre o trabalho feito durante o exame, especialmente o realizado por pessoas com deficiência. Para ele, isso mostra que as pessoas com deficiência têm a capacidade de trabalhar como qualquer outra. “O incentivo que deixo é a importância de mostrar para as pessoas que todos somos capazes, independentemente de qualquer coisa”, destacou.

Se você deseja obter mais informações sobre o trabalho do Naipd, entre em contato pelos telefones (77) 3424-8799, em Vitória da Conquista; (73) 3528-9713, em Jequié; e (77) 3261-8672, em Itapetinga.