Editorial - Edição 07

Assistência Estudantil

Ações da Assistência Estudantil da UESB ganham força com recursos do Pnaest

por Thanize Borges

Principal
Instituído pelo Ministério da Educação (MEC), o Programa Nacional de Assistência Estudantil para as Instituições de Educação Superior Públicas Estaduais (Pnaest) oferece recursos do Governo Federal às instituições públicas estaduais que participam do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) – que permite ao aluno o ingresso na Universidade por meio do resultado alcançado no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Esses recursos são destinados à promoção de ações voltadas à assistência estudantil.

Centenas de alunos da Uesb são beneficiados com recursos do Pnaest.

A Uesb, atendendo aos requisitos do Programa, é uma das beneficiadas com o recurso do Pnaest, o que proporciona à Universidade o desenvolvimento de diversas ações. Uma comissão formada por representantes do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe), da administração e dos discentes, avalia quais ações devem ser desenvolvidas dentro da Universidade utilizando o repasse federal, conforme explica a gerente de Assistência e Assuntos Estudantis, Maisa Melo Ferraz. Segundo a gerente, atualmente, com recursos do Programa, a Uesb realiza ações como: subsídio de refeição no Restaurante Universitário (RU), com o preço da alimentação no ‘bandejão’ a um real para todos os discentes habilitados, no campus de Vitória da Conquista; cota de xérox e impressão, e concessão de notebooks e netbooks, para os três campi e concessão de bicicletas, no campus de Itapetinga. “Além de atendimentos no posto odontológico aos discentes que são habilitados à Assistência Estudantil”, completa a gerente.

Ainda com recurso do Pnaest, a Uesb divulga, mensalmente, o Edital de participação em eventos, que hoje permite que muitos estudantes da Instituição tenham a possibilidade de viajar para apresentação de trabalhos e participação em congressos, com passagens nacionais, internacionais e locações de ônibus.

Quem também se beneficiará com ações oriundas de recursos do Pnaest serão os alunos do curso de Odontologia, no campus de Jequié, habilitados às ações da Assistência Estudantil da Universidade. Pois, já foi divulgado o Edital para a cessão de 10 kits odontológicos, composto de material de apoio para às aulas, que serão ofertados aos alunos que se enquadrem nos requisitos do processo. “Os kits certamente ajudarão muitos estudantes, que porventura não tenham condições de comprar o material, uma vez que são instrumentos caros”, afirmou a gerente.

A aluna do 7º semestre de Comunicação Social, campus de Vitória da Conquista, Fabiana Pereira, uma das beneficiadas com o subsídio de alimentação no RU, fala da importância de ações como essas para os estudantes. “Isso é ótimo, principalmente, para quem vem de outra cidade e acaba acumulando muitos gastos. O benefício é muito importante para a permanência do estudante na própria Universidade”, afirma a estudante.

“Essas ações são de extrema importância para nós estudantes que não temos boa situação financeira, pois os custos são muito altos. Com essa assistência, temos a chance de dar continuidade ao curso”, afirma Maísla Pires Rocha, aluna do 5º semestre de Química, do campus de Jequié, que é beneficiada com o auxílio da cota de xérox e da concessão de notebooks.

Quem também é favorecido com as ações da Assistência Estudantil, via Pnaest, é o aluno do 7º semestre do curso de Engenharia de Alimentos, no campus de Itapetinga, Juarez da Silva Souza Júnior. Recentemente, ele foi contemplado na concessão de bicicletas, e realça a importância do Programa para ajudar os alunos. “Não somente as bicicletas, como também as cotas de xérox, netbook, ampliação das bolsas de auxílio. Essas ações facilitam a permanência de estudantes que apresentam condição socioeconômica vulnerável”, ressalta o estudante.

Programas da Uinfor são viabilizados com recursos do Pnaest

Os recursos do Pnaest também estão sendo usados para o desenvolvimento de programas com a Unidade de Informática (Uinfor), em conjunto com o Núcleo de Acessibilidade dos campi, em ações a serem executadas que possam abarcar a própria estrutura da Universidade. “Fizemos uma parceria com a Uinfor para que fossem disponibilizados servidores para os programas softwares que são disponíveis para os alunos na Universidade. Além disso, também há os equipamentos que são usados para disponibilizar rede wifi dentro dos três campi, principalmente em Jequié e Itapetinga, todos feitos via uso dos rendimentos do Pnaest”, ressalta Maísa Oliveira Melo Ferraz.

Como funciona o Pnaest?

Para participar das ações do Pnaest, basicamente, o aluno precisa estar habilitado no Programa de Assistência Estudantil (Prae), exceto o Edital de participação em eventos, que é aberto para todos os discentes, seguindo os critérios estabelecidos no próprio Edital.

Outro programa que será desenvolvido com a Uinfor, via verba do Pnaest, é a prestação de serviço de um software que será instalado no site da Universidade, para que ele se torne acessível aos deficientes visuais e auditivos. Um avanço ainda maior para a Instituição, no que se refere à inclusão. A proposta já foi aprovada pela comissão do Pnaest e agora será submetida ao MEC. “Pretende-se, ainda, nesse segundo semestre, chamar os alunos que são habilitados aos programas estudantis para fazerem o cadastro da biometria. A partir disso, ações como cota de xérox, tickets para o restaurante universitário, por exemplo, serão facilitados, tanto para o aluno beneficiado, quanto para o servidor, que atualmente faz o controle manualmente”, conclui Ferraz.