Graduação

Cinema e Audiovisual: o olhar transformador por trás das câmeras

por Patrick Moraes

Com a proposta de formação polivalente e interdisciplinar, o curso de graduação em Cinema e Audiovisual foi implantado em 2010, um ano após a aprovação do seu projeto de criação, no campus de Vitória da Conquista. Com uma turma formada e muitas conquistadas alcançadas em seus seis anos de funcionamento, o roteiro que deu início a toda essa história foi escrito a partir de uma base sólida do audiovisual no país e, sobretudo, na Universidade.

Informações básicas

Criação: 2009
Modalidade: Bacharelado
Campus: Vitória da Conquista
Duração Mínima: 8 semestres

O reconhecimento nacional do Programa Janela Indiscreta Cine-Vídeo, fundado em 1992, e a implantação da TV Uesb, em 2006, tornaram o projeto de criação de um curso de graduação na área ainda mais necessário. Junto a essa base construída na Universidade, o curso contou com o incentivo da política de fomento ao cinema e ao audiovisual, estimulada pelo Ministério da Cultura, por meio da Secretaria do Audiovisual.

Segundo curso a ser implantado em uma instituição de ensino superior pública na Bahia, a graduação na Uesb tem a missão de formar novas gerações que irão colaborar com a transformação da sociedade por meio das produções audiovisuais. “Embora as pessoas ainda vejam o Cinema e o Audiovisual na pauta do entretenimento, a gente sabe que é muito mais do que isso, que é uma produção de conhecimento, de um ambiente reflexivo, de formação muito importante, e que, às vezes, é irresponsavelmente desconsiderado como tal”, explica Milene Gusmão, professora do curso e uma das criadoras do projeto de implantação da graduação.

O estudante que ingressar na graduação terá uma formação generalizada nas diversas cadeias do audiovisual, estudando roteiro, fotografia, som, montagem, produção, animação, além de outras muito importantes para a expressão audiovisual, como História da Arte, do Cinema no Brasil e do Cinema Mundial. Além das disciplinas em sala de aula, os estudantes contam com o suporte de projetos de pesquisa e extensão desenvolvidos por professores do curso. Ao todo, são cinco grupos de pesquisa e quatro projetos de extensão.

Reconhecimento, premiações e mercado de trabalho

Por ser uma graduação recente e contar com uma turma formada, o mercado de trabalho na região ainda está sendo aberto para esses profissionais, segundo o professor Glauber Lacerda, coordenador do curso. Produtoras audiovisuais foram criadas por discentes egressos, além da absorção desses profissionais por TVs locais e outras empresas que utilizam o audiovisual com parte do seu trabalho. A internet também tem sido um caminho possível para quem busca trabalhar o audiovisual, com a criação de canais e geração de conteúdo, além do apoio por meio de políticas públicas do audiovisual.

O Curso de Cinema busca formar profissionais que colaborem com a transformação social por meio de suas produções.

Durante esses seis anos, diversas produções desenvolvidas no curso já foram reconhecidas e premiadas em festivais pelo país. Estimulados à produção por meio de atividades interdisciplinares, os estudantes acabam compreendendo melhor a relação intrincada que há entre os diversos setores da cadeia audiovisual e refletindo isso na qualidade dos produtos finais. “O Colegiado procura informar dos eventos, mas há uma procura natural dos alunos. A cada prêmio que se conquista, percebemos um entusiasmo dos estudantes em realizar novas obras”, comenta Lacerda.

Integrante da primeira turma, Patrícia Moreira teve duas animações premiadas, “O homem que cantou as aves do sertão” e “Do que lembro, do que esqueci, do que me contaram e eu inventei”. Entre as premiações, estão o primeiro lugar no Festival competitivo de filmes produzidos por meio de fontes de captações digitais, “CeluCine” , realizado no Rio de Janeiro; e o primeiro lugar no Festival Nacional de Cinema de Petrópolis, categoria de curta-metragem.

Segundo Moreira, os prêmios vieram não só para estimular, como também confirmar de que estava no caminho certo. Apaixonada por animação, ela acredita no reconhecimento dos prêmios, mas destaca que o maior aprendizado está no processo de expressão por meio da criação. “Criar algo e se expressar, seja através de um desenho ou a partir de uma câmera, te torna parte da memória do mundo, afinal ela não se perderá assim tão facilmente, está ali, gravada na história e em um outro tipo de pedra. Todos nós podemos conseguir, o curso de Cinema nos dá plenas condição para grandes realizações, e aproveitar é sempre a melhor saída”, revela Moreira.