Brasão UESB/Governo da Bahia

Projetos aproximam estudantes da Educação Básica das Ciências Naturais

Extensão

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Descomplicar as ciências naturais trazendo-as para situações cotidianas. Esse é o objetivo comum dos projetos “Laboratório Móvel” e “A ciência é um show”, ambos criados no campus de Jequié e coordenados pelas docentes Ana Cristina Duarte e Joélia Martins, respectivamente. Implantado em 2009, o Laboratório Móvel de Ciências Naturais nasce com a missão de popularizar e divulgar o conhecimento científico na cidade de Jequié e microrregião, principalmente, em escolas da Educação Básica, já que a maioria não possui laboratórios para o desenvolvimento de aula práticas ou experimentais.

Popularizar e divulgar o conhecimento científico são alguns dos objetivos de projetos de extensão da Uesb relacionados a Ciências Naturais. 

Conforme explica Ana Cristina, o conhecimento tecnológico proporciona autonomia e exercício da cidadania. “O projeto tem promovido ações em diversos espaços da comunidade, principalmente em escolas, voltadas para o ensino de Ciências, como aulas práticas, experimentação, palestras, demonstrações, oficinas etc”, explica a docente. Até 2018, foram desenvolvidas mais de 100 atividades e quase cinco mil pessoas foram beneficiadas, dentre discentes, docentes da Educação Básica, discentes do Ensino Superior e comunidade em geral.

O Laboratório Móvel é um carro adaptado, equipado com microscópios, vidrarias, reagentes, banho-maria e diversos modelos didáticos como: célula animal e vegetal, modelo de DNA, corte de tecido vegetal, modelo de olho, dorso humano, fases do desenvolvimento da criança, aparelho reprodutor masculino, dentre outros. Além disso, possui armários para guardar o material e os modelos didáticos, bem como bancadas para exposição dos materiais e realização das atividades.

As escolas solicitam e agendam as visitas. “O planejamento das atividades é realizado com base nas necessidades da escola, idade e série dos discentes”, afirma a coordenadora do projeto. O projeto é desenvolvido, principalmente, nas escolas da Educação Básica, pública ou privada. Ana Cristina salienta a importância do projeto, especialmente no processo de ensino-aprendizagem: “por meio das atividades desenvolvidas, também é feita a promoção do conhecimento científico e o exercício da cidadania”.

Despertando o interesse pela ciência

Joélia Martins percebeu que havia nas escolas carência de estudos experimentais, especialmente nas áreas de Química, Física, Biologia e Matemática. Por isso, em 2016, criou o projeto de extensão “A Ciência é um show” para atender alunos e professores do Ensino Fundamental e Médio de escolas públicas de Jequié e região. “Nossa intenção é promover nas escolas um espaço de discussão sobre a ciência através de apresentações de experimentos investigativos”, ressalta a docente.

Ambientes laboratoriais são criados para que os alunos se envolvam e desenvolvam senso investigativo. Segundo a professora, durante as atividades, os estudantes fazem perguntas sobre os experimentos e conseguem, inclusive, estabelecer comparações com situações cotidianas. Outros relatos recorrentes diz respeito à concentração durante a realização das atividades. “Na apresentação, os alunos se mantém atentos, fazem anotações e questionam bastante. Os professores também são bastante participativos”, lembra Joélia.

Para a coordenadora do “A Ciência é um show”, essas atividades podem ser continuadas pelos próprios professores das escolas, utilizando materiais acessíveis e de baixo custo, realizando discussões e buscando uma maior reflexão acerca do que se é abordado em sala de aula. “Isso demonstra a importância do projeto na construção do conhecimento científico, tanto para os alunos quanto para os professores”, orgulha-se a docente.

O Colégio Estadual Professora Floripes Sodré, em Jequié, foi um dos participantes do projeto. Segundo Ítalo Silva, professor da escola, a atividade permitiu que os estudantes analisassem os experimentos e entendessem melhor como funciona os procedimentos na prática. “Mostramos como acontecem as reações químicas e físicas. Projetos como esse aproximam os estudantes das pesquisas feitas na Universidade. É também o despertar para a continuidade da carreira deles”, afirma o professor.

Matérias mais vistas

confira as matérias com mais cliques em nossa revista eletrônica

Especial 40 anos
Os primeiros passos de uma universidade
Especial 40 anos
A educação na região Sudoeste...
Especial 40 anos
Passado e presente se encontram em...
Especial 40 anos
40 anos desbravando os caminhos da...
Especial 40 anos
Uesb impulsiona crescimento...
Assistência Estudantil
Políticas afirmativas garantem...
Especial 40 anos
Onde são formados os professores da...
Especial 40 anos
Pesquisa e extensão a serviço da...
Especial 40 anos
40 fatos sobre a Uesb que você...
Especial 40 anos
Laboratórios qualificam a formação...
Especial 40 anos
Universidade oferece oportunidades de...
Especial 40 anos
Qual a cara da Uesb dos 40 anos?