Graduação

Sistemas de Informação: um curso multidisciplinar

por Patrício Ribeiro

027

Formar profissionais da área de Computação e Informática para atuação em pesquisa, gestão, desenvolvimento, uso e avaliação de tecnologias de informação aplicadas às organizações. Esta é a missão do curso de Sistemas de Informação da Uesb, que funciona no campus de Jequié. Implantado em 2006, o curso teve seu reconhecimento renovado em agosto de 2014.

O Guia do Estudante de 2015 aponta o curso de Sistemas de Informação da Uesb com 4 estrelas.

Ao ingressar no curso de Sistemas de Informação, que tem duração de oito semestres, o estudante se depara com uma formação multidisciplinar, que dialoga diretamente com áreas afins: formação básica em Ciência da Computação e Matemática; tecnologias de Ciência da Computação; e Ciência de Sistemas de Informação. Após receber essas referências, o discente pode partir para a formação complementar específica que o situe na área de sua afinidade.   Desse modo, o profissional deixa a Universidade habilitado para atuar no desenvolvimento de sistemas e infraestrutura de informação para uso em processos organizacionais e individuais.

“O curso conta com laboratórios e tem uma biblioteca de qualidade. A maioria dos professores tem projetos com outros cursos, ajuda a fazer trabalhos interdisciplinares, o que é bastante interessante”, atesta Adriana Ribeiro, recém-formada. Interdisciplinaridade que aponta para uma formação técnico-científica e humanística, como, aliás, é a premissa do Ensino na Uesb, que lapida profissionais capazes de atender às necessidades do mercado, que deem conta das diversas demandas e suas complexidades, sem perder de vista a capacidade crítica e inovadora de compreensão e interversão proativa quanto aos problemas detectados. Quanto à atuação profissional, quem se forma em Sistemas de Informação na Uesb pode atuar em duas áreas centrais: inovação, planejamento e gerenciamento da informação e da infraestrutura de tecnologia da informação nos diversos ambientes organizacionais; e desenvolvimento de sistemas e infraestrutura de informação para uso em processos organizacionais, departamentais e individuais.

Centro de Pesquisa

043

O Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Software (CPDS) foi implantado em 2013.

Segundo o professor Lucas Santos de Oliveira, vice-coordenador do Colegiado do curso, o mercado regional tem absorvido boa parte da mão-de-obra formada pelo curso. “Muitas empresas, principalmente do pólo industrial daqui, necessitam de pessoas especializadas e não encontram. Há uma demanda grande desse tipo de profissional, principalmente de desenvolvimento, ou para a área de redes. O foco do curso não é para essa área, mas também existe essa grande demanda, alguns alunos têm afinidade e partem para ela. A microrregião é muito carente e precisa de profissionais da área de Computação em geral”, analisa.

Um fator determinante para que os profissionais de Sistemas da Informação inseridos no mercado de trabalho pela Uesb passassem a ser ainda mais requisitados foi a criação do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Software (CPDS), implantado em 2013. Com esse recurso, a Uesb passou a ser referência na região também no que diz respeito à viabilização de soluções em software para organizações públicas e privadas, tornando ágeis e autônomos seus processos de informação interna e externa. “Acrescente-se ao CPDS a criação do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT), que foi mais um ganho dentro da Universidade. A ideia é que a Uesb se aproxime ainda mais do mercado, oferecendo tecnologia de ponta”, projeta Lucas Oliveira.

Informações básicas

Criação: 2005
Modalidade: Bacharelado
Campus: Jequié
Duração mínima: 8 semestres

Ainda de acordo com o professor, além de se inserir no mercado regional, inclusive, por meio do empreendedorismo, outra parte dos profissionais que se formam em Sistemas de Informação na Uesb tem ingressado na carreira acadêmica. “Muitos alunos estão fazendo mestrado e doutorado, muitos já atuam como docentes em diversas instituições de ensino superior que contemplam a área de Computação em geral”.

Um universo bastante abrangente de possibilidades para um curso implantado há apenas nove anos e que tanto tem contribuído para que a Uesb seja cada vez mais protagonista do desenvolvimento regional. “Vale à pena vir pra cá, cursar Sistemas de Informação. A demanda da microrregião ainda é pouco explorada em vista do potencial que possui”, enfatiza o vice-coordenador.