Editorial - Edição 09

Pós-Graduação

Pós-Graduação em Educação amplia fronteiras da pesquisa

por Thanize Borges

Principal
O Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEd), nível de mestrado, oferecido pela Uesb, campus de Vitória da Conquista, foi aprovado e implantado na Instituição em 2012, com a sua primeira turma iniciando em março de 2013. Desde a sua implantação, já foram formados 83 mestres, profissionais aptos para atuarem no mercado de trabalho com uma visão diferenciada.

O Programa é fruto de longos anos de preparação a partir do Grupo de Pesquisa sobre Políticas Públicas, Gestão e Práxis Educacional (Gepráxis). Como afirmou o coordenador do PPGEd, professor Cláudio Nunes, vinculado ao Departamento de Filosofia e Ciências Humanas (DFCH), os anos de preparação se referem “aos currículos dos professores para atender aos critérios da Coordenação de Aperfeiçoamento de Nível Superior (Capes), para autorização de funcionamento de um Programa de Pós-Graduação em Educação”.

O Programa de Pós-Graduação em Educação da Uesb é o único da região a oferecer curso de Mestrado na área educacional.

O Mestrado simboliza para a Uesb uma grande conquista, principalmente, por ser o único da área na região. “Os programas mais próximos ficam em Feira de Santana (mestrado), Salvador (mestrado e doutorado) e Belo Horizonte (mestrado e doutorado). Ou seja, consolidar a pós-graduação em Educação na Uesb representa um grande ganho para toda uma região de grande abrangência geográfica”, ressalta o coordenador.

Durante quatro anos e meio, o PPGEd funcionou com duas linhas de pesquisa, mas no segundo semestre de 2017, em seu quinto ano de funcionamento, passou a abarcar cinco linhas de pesquisas: Educação, Políticas Públicas e Gestão; Educação, Currículos e Práticas Educativas; Educação, Linguagem e Processos de Subjetivação; Educação, Epistemologia, Ensino e Aprendizagem; Educação, Movimentos Sociais, Formação e Trabalho.

O desenvolvimento e estímulo à pesquisa são dentro do Programa, que conta com diversos grupos credenciados pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). “Os professores, obrigatoriamente, fazem parte de grupos de pesquisa credenciados pelo CNPq. Quase todos assumem a liderança de um grupo, sendo que uma minoria ainda está na função de vice- coordenador”, afirma Nunes.

A qualidade do Programa é comprovada pelos próprios estudantes, que reconhecem a importância do Mestrado e dos profissionais envolvidos. “O Mestrado em Educação tem contribuído de forma bastante significativa para a minha formação acadêmica e profissional, principalmente, naquilo que o curso se propõe, que é a consolidação da pesquisa. Temos um corpo docente muito competente, o que nos oferece segurança para darmos continuidade aos estudos e assim poder contribuir com as discussões sobre educação no país”, destaca a mestranda Virgínia Fontes.

Quem também reafirma a qualidade e relevância do mestrado é a egressa do curso Jorsinai de Argolo. “É importante ressaltar que, historicamente, o Estado da Bahia, principalmente as cidades do interior, vem vivenciando uma carência de cursos de pós-graduação stricto sensu e o PPGEd veio para oportunizar aos egressos dos cursos de graduação, principalmente aqueles da área de Educação, a continuidade de estudos e investimentos na formação profissional”, ressalta.

O PPGEd também realiza diferentes eventos, sejam eles promovidos de modo geral, ou pelos grupos de pesquisa vinculados ao mestrado. As maiores atividades do Programa são os Seminários Políticas Públicas, Gestão e Práxis Educacional (Gepráxis), que acontecem anualmente e, em 2017, chegou à sua 6ª edição nacional, e à 2ª internacional. O Programa também dispõe de uma revista, a Práxis Educacional, um periódico quadrimestral, impresso e eletrônico, de conceito B1, segundo a mais recente avaliação da Capes.