Graduação

Curso de Teatro da Uesb oferece múltipla formação

por Juliana Silva

SONY DSC
Até 2012, a Uesb oferecia, no campus de Jequié, o curso de Licenciatura em Artes com formação em Dança ou Teatro. Após a reformulação curricular, a Universidade passou a oferecer duas graduações distintas: Licenciatura em Teatro e Licenciatura em Dança.

Informações básicas

Criação: 2012
Modalidade: Licenciatura
Campus: Jequié
Duração mínima: 8 semestres

O curso de Licenciatura em Teatro tem como principal objetivo formar profissionais qualificados para exercerem a docência na área, com visão crítica e consciência sócio-política. De acordo com o professor Roberto Basílio Fialho, coordenador do colegiado da graduação, sendo uma Licenciatura, o curso prepara o aluno para refletir, planejar e conduzir processos de ensino aprendizagem para um público diversificado, ao passo em que constrói sua identidade docente. No entanto, ele destaca que a “graduação envolve, simultaneamente, estudo teórico/prático de técnicas de corpo, de palco, das visualidades, como maquiagem, figurino, cenografia e iluminação, de voz, de encenação, de processos pedagógicos e processos metodológicos dentre outros procedimentos práticos e conteúdos próprios da pedagogia teatral”.

Ainda conforme o coordenador, nesta perspectiva de formação, há um desdobramento para que o discente compreenda o papel de professor, artista e pesquisador, dentro das linhas de ensino, pesquisa e extensão da ambiência acadêmica. Assim, o professor afirma que “os interessados nesta área de conhecimento irão encontrar estímulos e referenciais para uma autonomia intelectual e produtiva através do constante contato entre a apreciação de obras de arte, a realização de produtos artísticos fruto de investigação teórico/prática e espaços de debate e contextualização dos materiais estudados”.

Mesmo sendo licenciatura, o curso de Teatro da Uesb prepara o aluno para atuar também como pesquisador e artista.

Pyter Rodrigues, formado em Teatro na Uesb em janeiro de 2017, afirma que o corpo docente da Universidade não pensa o trabalho pedagógico dissociado do trabalho de pesquisa e do trabalho artístico, sendo isso o grande diferencial do curso ofertado pela Instituição.  “A graduação de Teatro que a Uesb oferece é uma das melhores. Primeiro, porque a maioria dos cursos de Licenciatura de Teatro do Brasil tem em seu currículo disciplinas voltadas unicamente para o trabalho pedagógico, deixando de lado as disciplinas de montagem de espetáculos. O diferencial é que nosso curso tem disciplinas de montagem desde o primeiro semestre até o último”, comenta Rodrigues.

Caio César Silva, aluno do último semestre, concorda. Segundo ele, a matriz curricular do curso na Uesb é excelente. “Tenho viajado por outras universidades que têm o curso de Teatro e eu recebo sempre elogios em relação à formação que nos é ofertada aqui”, afirma o estudante.

Produção de Espetáculos e Premiações

Desde o primeiro semestre, os alunos de Teatro trabalham com a produção de espetáculos, seja por meio das disciplinas específicas que são ofertadas na grade curricular da graduação, seja por meio de ações extensionistas. Assim, os discentes estão sempre em contato com as comunidades interna e externa da Universidade, o que, de acordo com a coordenação da graduação, amplia o senso de responsabilidade diante de práticas feitas ao público amplo. “Além disso, oferece condições de organização e senso de trabalho coletivo e fortalece as questões intrapessoais e interpessoais tão caras a um profissional em sua relação de trabalho, como é o que se espera no ambiente pedagógico”, ressalta o professor Roberto Basílio Fialho.

Ao mesmo tempo, as produções de espetáculos estimulam as práticas artísticas no corpo discente, o que pode ser percebido, inclusive, pelas premiações que o curso acumula. Pyter Rodrigues, por exemplo, foi premiado por dois anos consecutivos no Festival de Peças Curtas de Sumaré, em São Paulo. Em 2013, ele recebeu o Prêmio Especial de Investigação em Performance. Já em 2014, ele foi premiado pelo espetáculo “Atritos do Corpo Nostálgico”, apresentado pelo Coletivo Nós, formado por alunos do Ensino Médio do Centro Estadual de Educação Profissional Régis Pacheco, em Jequié, com o Prêmio de Incentivo à Pesquisa.

Pyter Rodrigues também fez parte do espetáculo Algaravias – O Marujo da Lua, que recebeu o Prêmio Braskem – maior premiação de Teatro do Nordeste, na categoria Espetáculo do Interior, em 2015. A peça, que aborda a vida e obra do poeta de Jequié Waly Salomão, foi escrita e dirigida pelo professor Roberto de Abreu Schettini (in memoriam) durante seu período de docência na Uesb, quando coordenou o Grupo de Pesquisa Olaria e o Programa de Extensão em Artes Cênicas (Procena). “A Uesb teve e tem tido uma contribuição muito grande em minha formação, principalmente em ter colocado em meu caminho um dos melhores mestres do Teatro da Bahia, o professor Roberto Abreu Schettini. É dele o mérito pelo prêmio Braskem de Teatro, além da responsabilidade de influenciar minhas produções artísticas e de pesquisa”, ressalta Pyter Rodrigues.