Graduação

Educação Básica de qualidade é um dos focos do curso de Física da UESB

por Valcelene Amorim


Segundo os dados do Censo Escolar de 2015, divulgados, neste ano, pelo Ministério da Educação (MEC), 38,7% dos professores que lecionam na rede pública de ensino no Brasil dão aulas em disciplinas nas quais não possuem formação. Ainda de acordo com o MEC, o maior déficit está em Física. Do total de professores que lecionam essa matéria, 68,7% não tem licenciatura na área.

Informações básicas

Criação: 2001/2010
Modalidade: Licenciatura
Campus: Vitória da Conquista e Itapetinga
Duração mínima: 8 semestres

Essa realidade foi observada, no fim da década de 1990, por meio de um estudo realizado pelo professor Jornandes de Jesús Correia, no município de Vitória da Conquista, onde foi constatada a falta de professores com graduação na disciplina. “Há muito tempo, eu fiz uma pesquisa e aqui não tinha nenhum professor com habilitação em Física. Em cima disso, elaboramos um projeto, apresentamos ao Departamento de Ciências Exatas e da Terra e conseguimos abrir o curso”, afirmou Correia.

Dessa forma, em 2001, foi implantado o curso de Física na Uesb, campus de Vitória da Conquista, com o objetivo de contribuir para a formação adequada de professores. “Existe uma carência estadual e, portanto, regional, de licenciados em Física para atuar na Educação Fundamental, especificamente no Ensino Médio. Desta forma, o objetivo principal, mas não exclusivo, do curso é suprir esta demanda”, argumentou Sergio Luiz Barroso, atual coordenador da graduação, em Vitória da Conquista.

Já em Itapetinga, após ser feito um levantamento, foi identificado que apenas um professor, com formação específica em Física, ensinava nos colégios públicos de Ensino Médio da cidade. “A gente fez uma avaliação aqui de Itapetinga e, de todas as escolas do município que oferecem o Ensino Médio, apenas um professor é formado em Física. Então, tem biólogo, matemático e até pedagogo dando aulas na disciplina”, é o que explicou Camila Messias Barbosa Santos, coordenadora do curso de Física, campus de Itapetinga. Ainda de acordo com Santos, o curso, que teve início no primeiro semestre de 2012, forma a primeira turma esse ano, o que irá gerar uma repercussão positiva para a cidade e região.

O curso de Física busca contribuir para a formação adequada de professores para atuar na Educação Fundamental.

Para a formação plena dos futuros licenciados em Física, é estimulado o contato com o dia a dia da profissão, por meio do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid), no qual os graduandos têm a possibilidade de vivenciar o cotidiano da sala de aula. A participação em eventos e na iniciação cientifica também é bastante estimulada na graduação.

Ao ingressar no curso, que tem duração de oito semestres, os estudantes contam com uma infraestrutura de laboratórios e salas de aulas para o melhor desenvolvimento das atividades da graduação.  O curso possui uma carga horária de aulas divididas em Núcleo Comum (Física Geral, Clássica, Moderna e Contemporânea); Disciplinas Complementares; Núcleo de Disciplinas Profissionalizantes, Estágio Supervisionado Obrigatório e Trabalho Monográfico Orientado. Atendendo às exigências do Ministério da Educação (MEC), por meio do Conselho Nacional de Educação (CNE), também são oferecidos aos alunos da graduação aulas de Língua Brasileira de Sinais (Libras) e disciplinas relacionadas com as questões ambientais e étnico-raciais.

Os egressos do curso de Física têm ainda a possibilidade de seguir a carreira acadêmica, como, por exemplo, por meio do Mestrado Profissional em Física, criado recentemente no campus da Uesb de Vitória da Conquista, em parceria com a Sociedade Brasileira de Física. “A existência do quadro de docentes qualificados permite a implementação na região de programas como o Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física, que busca garantir formação continuada para aqueles profissionais que atuam no ensino de Física na Educação Básica” afirmou Barroso. Ele destaca ainda que “o aspecto do ensino, a formação sólida e abrangente, que buscamos garantir aos discentes do curso, também lhes dá a oportunidade de seguir carreira acadêmica, mestrado, doutorado, nas diversas áreas da Física”.