Brasão UESB/Governo da Bahia

Família: suporte importante para os vestibulandos

Graduação

DSC01764
O vestibular, na maioria das vezes, é marcado por muita ansiedade. Afinal, é por meio do processo seletivo que milhares de pessoas buscam o sonho de ingressar em uma universidade. Nesse momento, o apoio familiar é um diferencial para que os candidatos consigam realizar boas provas. Além de apoiar os filhos no período que antecede o vestibular, muitos pais também fazem questão de estar presentes, prestando toda a ajuda possível, nos dias das provas.

Foto: Ascom UesbJoão dos Santos Lima Neto e Rosilma Oliveira Gama Lima, pais de Lizia Maria Gama Lima, candidata ao curso de Medicina. Para eles, é importante “estar em todos os momentos torcendo, vibrando com as conquistas em todos os sentidos e com as possibilidades tanto positivas quanto negativas”.

Têm aqueles que levantam cedo, levam os seus filhos até os locais onde irão prestar o vestibular e acompanham todos os passos deles em direção à grande realização, que é cursar o ensino superior. Foi assim que Margarete Gonçalves Dantas e Jason Gonçalves da Silva, pais de Natália Gonçalves Dantas, que tenta uma vaga no curso de Fisioterapia da Uesb, fizeram. “O apoio da família nessas horas é tudo. A gente vive esse sonho com ela, na verdade, é um sonho que a família tem, pois o que a gente pode dar é o estudo e é isso que a gente tem tentado. No que ela precisar, a gente vai estar sempre aqui”, afirmou a mãe da candidata.

Também há aqueles que não medem distância para estar ao lado dos filhos em um momento tão significativo. Marcelo Queiroz veio de Brasília (GO) para acompanhar a filha, Bárbara Pereira Queiroz, que está prestando vestibular para Medicina. Foram mais de mil quilômetros percorridos até chegar em Vitória da Conquista, uma das cidades que a Uesb tem campus. “Nós fazemos o possível e o impossível para apoiar nossos filhos e percebemos a importância que eles atribuem para nós nesse momento. Na hora de fazer a inscrição, por exemplo, a primeira coisa que minha filha perguntou foi: ‘pai, você vai comigo?’ Então, nós viemos de Brasília e tivemos essa preocupação de acompanhá-la, para não deixá-la vir sozinha”, contou Queiroz.

Divan dos Reis foi outra mãe que não viu a distância como empecilho para acompanhar a filha, Vitória Severo, que também sonha em fazer o curso de Medicina. Moradora da cidade de Montes Claros (MG), ela acredita que a família é o porto seguro. “Eu estou aqui, porque sei que esse apoio de pai, de mãe, é importante nesse momento e sinto que, estando próximo dela, ela vai se sentir mais tranqulia”, ressaltou Reis.

Na busca pelo sonho de ingressar na Universidade, o apoio familiar tem um significado importante para muitos vestibulandos.

Letícia dos Santos Silva, candidata ao curso de Sistemas de Informação, que é deficiente visual, foi realizar as provas acompanhada por sua avó, Rosalina Silva. “O apoio da família é fundamental, principalmente para mim que tenho deficiência visual”, comentou a vestibulanda. Já a avó dela destacou a importância de estar ao lado da neta neste momento: “Desde pequenininha, que eu a acompanho sempre, tanto em casa com os deveres como na escola ao levar e pegar. Agora, que ela está maior não precisa mais que eu leve e traga. Mas é importante estar ao seu lado, para ela se sentir mais segura, pois a gente dá força, incentiva e ajuda”.

Matérias mais vistas

confira as matérias com mais cliques em nossa revista eletrônica

Especial 40 anos
Os primeiros passos de uma universidade
Especial 40 anos
A educação na região Sudoeste...
Especial 40 anos
Passado e presente se encontram em...
Especial 40 anos
40 anos desbravando os caminhos da...
Especial 40 anos
Uesb impulsiona crescimento...
Assistência Estudantil
Políticas afirmativas garantem...
Especial 40 anos
Onde são formados os professores da...
Especial 40 anos
Pesquisa e extensão a serviço da...
Especial 40 anos
40 fatos sobre a Uesb que você...
Especial 40 anos
Laboratórios qualificam a formação...
Especial 40 anos
Universidade oferece oportunidades de...
Especial 40 anos
Qual a cara da Uesb dos 40 anos?