Brasão UESB/Governo da Bahia

Onde são formados os professores da região Sudoeste?

Especial 40 anos

Ser professora era uma certeza que Damares Borges carregava desde a adolescência. Mas, de que área? No fim do Ensino Fundamental, ao ter contato com os conceitos básicos de Física, ela bateu o martelo. “A Física significava a junção perfeita entre explicação de fenômenos interessantes e as equações matemáticas que tanto gostava”, conta.

Ao terminar o Ensino Médio, Damares viu na Uesb a ponte para o futuro que tanto desejava. Em 2012, ela ingressou no curso de Física, recém-implantado pela Universidade, no campus de Itapetinga. “Entendi como um grande presente ter a oportunidade de cursar o que tanto queria na minha própria cidade”, recorda.

Primeira turma do curso de Licenciatura em Física, do campus de Itapetinga

A criação da licenciatura em Física mudou não só a vida de Damares, mas de toda a região. Ela lembra que na época em que era estudante do Ensino Fundamental e do Ensino Médio, só havia na cidade um professor formado em Física. Antes disso, segundo Damares, “era visível a necessidade de profissionais dessa área para atuarem na Educação Básica”. Ela revela que foi aluna desse único professor efetivo da rede básica com formação em Física: “Me lembro bem que ele trabalhava em pelo menos três escolas. Na maioria das vezes, quem ministrava aulas de Física eram profissionais das áreas de Matemática, Biologia, Zootecnia, etc. Essa deficiência existia em todas as cidades circunvizinhas”.

Oito anos depois de ter iniciado a graduação, Damares destaca os impactos positivos da Uesb na realidade do ensino de Física na região. “Hoje, vemos muitos dos nossos colegas atuando e suprindo essa necessidade. Então acho que toda a região vizinha a Itapetinga ganhou muito com a implantação do curso”, afirma.

A Uesb consolidou a missão de formar professores qualificados para atender as necessidades da Educação Básica e hoje também contribui para a docência no Ensino Superior

Além do curso de Física em Itapetinga, a Uesb conta com mais 21 licenciaturas, em seus três campi. Ao longo dos seus 40 anos, a Universidade consolidou a missão de formar professores qualificados para atender as necessidades da Educação Básica e, dessa forma, vem contribuindo para a melhoria do ensino que é ofertado na região Sudoeste e por toda a Bahia.

“A nossa maior vocação e orgulho é ter estruturado uma política de formação de professores no decorrer de nossos 40 anos”, destaca Talamira Brito, professora vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Formação de Professores. “Construímos esse outro legado de levar a formação superior para professores da Educação Básica, em especial para as cidades de cada campus, e, de maneira mais ampla, para os territórios de identidade de nosso estado”, completa a docente.

Talamira reforça ainda que a Uesb contribuiu e ainda contribui para a política expressa na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira: manter, nas salas de aulas da Educação Básica e em suas modalidades, apenas pessoas com a formação universitária em licenciatura. “A escola precisa do saber especializado, precisa ser percebida como multicêntrica, multidisciplinar e responsável por uma formação que não deforme, que qualifique o processo de conhecer nutrido por profissionais cada vez mais sabedores de como ensinar, como tornar a vida escolar de seus estudantes produtiva e feliz”, acrescenta.

O legado da Uesb

Marcius de Almeida Gomes, superintendente da Coordenação Executiva de Programas e Projetos Estratégicos da Educação, vinculada à Secretaria Estadual de Educação, reforça que, desde a sua implantação, a Universidade tem construído um grande legado voltado para Educação Básica. “Garantir a formação é essencial, é o ponto principal para podermos melhorar a qualidade da educação nos municípios e no estado. Nós reconhecemos que, nesses últimos 40 anos, a Uesb tem feito um trabalho brilhante com seus cursos de licenciatura, nas mais diversas áreas”, comenta.

Para além das graduações, o superintendente destaca a atuação da Universidade para o fortalecimento da Política de Formação de Professores e para a melhoria do aprendizado dos alunos, com os seus Programas de Pós-Graduação. Hoje, a Instituição conta com nove cursos de Mestrado e dois de Doutorado voltados para qualificação de professores da Educação Básica, além de diversas especializações. “Esses esforços da Uesb apontam para que a gente possa atingir as metas postas como desafios para a educação do Estado”, declara Marcius.

Contribuição para o Ensino Superior

Atualmente, os professores formados pela Uesb não atuam somente na Educação Básica. Com o crescimento pujante dos polos educacionais no estado, houve um aumento considerável de instituições de ensino superior, principalmente de instituições privadas.

Para atender essa demanda, as faculdades particulares têm construído seu corpo docente a partir de profissionais formados pela Uesb. “Se pararmos para pensar na quantidade de instituições privadas que hoje atuam em nossas cidades, poderemos ter uma visão impactante de como seu crescimento prosperou à luz da existência de nossas instituições públicas, como a Uesb”, relata a professora Talamira.

Matérias mais vistas

confira as matérias com mais cliques em nossa revista eletrônica

Especial 40 anos
Os primeiros passos de uma universidade
Especial 40 anos
A educação na região Sudoeste...
Especial 40 anos
Passado e presente se encontram em...
Especial 40 anos
40 anos desbravando os caminhos da...
Especial 40 anos
Uesb impulsiona crescimento...
Assistência Estudantil
Políticas afirmativas garantem...
Especial 40 anos
Onde são formados os professores da...
Especial 40 anos
Pesquisa e extensão a serviço da...
Especial 40 anos
40 fatos sobre a Uesb que você...
Especial 40 anos
Laboratórios qualificam a formação...
Especial 40 anos
Universidade oferece oportunidades de...
Especial 40 anos
Qual a cara da Uesb dos 40 anos?