Brasão UESB/Governo da Bahia

Pós-Graduação em Letras fortalece pesquisas interdisciplinares

Pós-Graduação

IMG_5253
Em 2009, a Uesb deu um grande passo no campo da pós-graduação e, consequentemente, no desenvolvimento de pesquisas nas áreas de Letras, Linguística, Educação, História e demais Ciências Humanas. Com o projeto aprovado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), o Programa de Pós-Graduação em Letras: Cultura, Educação e Linguagens foi implantado no campus de Vitória da Conquista.

Aberto para graduados em qualquer área de conhecimento, o Programa oferece vagas anuais, para o curso de Mestrado Acadêmico, em duas linhas de pesquisa: “Linguagens e Educação” e “Linguagens e Práticas Sociais”. “Hoje, a própria produção do conhecimento requer o diálogo entre as áreas específicas. O Programa foi pensado já com essa dimensão de interdisciplinaridade e reconhecido pela Capes dentro da interdisciplinaridade na área de Letras, o que é um diferencial no Norte e Nordeste do país”, analisou a professora Ester Maria de Figueiredo, atual coordenadora do Programa.

Com foco na interdisciplinaridade, o Programa de Pós-Graduação em Letras dialoga com diversas áreas do conhecimento.

O Programa já formou mais de 110 mestres e mestras desde a sua implantação, totalizando nove turmas de Mestrado concluídas. Cinco bolsistas de pós-doutorado desenvolvem, atualmente, pesquisas dentro da interdisciplinaridade da área de Letras junto a professores vinculados ao Programa. Hoje, o quadro de docentes é formado por 28 pesquisadores, sendo 22 permanentes e seis colaboradores, de instituições como a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Por acolher pesquisadores com diversas formações, a produção de conhecimento transita em inúmeras problemáticas sociais. Debruçada na Comunicação, sobretudo no campo do Jornalismo, Flávia Mota, concluiu o Mestrado em 2014 após elaborar uma proposta de análise para produtos jornalísticos com base no Jornalismo Cívico.

Atualmente, Mota é professora do Departamento de Filosofia e Ciências Humanas da Uesb. Para ela, a interdisciplinaridade foi essencial para ampliar sua formação. “Apesar de migrar para outra área de conhecimento, grande parte dos temas abordados nas disciplinas dialogava muito com a Comunicação. Trabalhar com cultura e sociedade contribuiu, de maneira significativa, para a compreensão da Comunicação e das relações humanas no sentido mais amplo dos termos”, avaliou a docente, que ministra, hoje, disciplinas no curso de Comunicação e Jornalismo.

Formação para além da Universidade

A formação de mestres e mestras no Programa também dá suporte para a atuação de profissionais na Educação Básica. É o caso de Tainá Almeida. Formada em Línguas Estrangeiras Aplicadas às Negociações Internacionais (LEA), ela concluiu o Mestrado em 2015 e atuou como professora de alunos do Ensino Fundamental e Médio, no município de Itapetinga.

Em sua dissertação, Almeida pesquisou os princípios de superação de estereótipos culturais no processo de ensino-aprendizagem de língua inglesa. A pesquisa foi realizada em duas escolas – uma pública e uma privada – de Itapetinga, na qual foi possível observar, por exemplo, se havia um entendimento da prática docente como uma ação social política.

Para ela, a formação dada pelo Programa e o desenvolvimento da pesquisa trouxeram resultados para sua atuação em sala de aula. “Em minha dissertação, estudei a obra de Paulo Freire – renomado educador pernambucano, cujo trabalho ganhou alcance mundial – e sugeri que seus princípios pedagógicos fossem aplicados ao ensino de língua inglesa. Assim, na minha prática pedagógica pós-mestrado, procurei aplicar esses princípios e propiciar em minhas aulas momentos de reflexão e debate sobre temas sociais de interesse dos alunos, como racismo, respeito ao próximo, assédio sexual, papel da mulher e etc.”, contou Almeida.

Na última avaliação da Capes, que leva em consideração a produção científica do corpo docente e discente, a estrutura curricular do curso, a infraestrutura de pesquisa da Instituição, dentre outros fatores, o Programa obteve conceito 4,. O próximo passo, segundo a coordenadora do Programa, é a aprovação do curso de Doutorado, que seguirá a concepção e o fortalecimento da interdisciplinaridade já trabalhada.

Matérias mais vistas

confira as matérias com mais cliques em nossa revista eletrônica

Especial 40 anos
Os primeiros passos de uma universidade
Especial 40 anos
A educação na região Sudoeste...
Especial 40 anos
Passado e presente se encontram em...
Especial 40 anos
40 anos desbravando os caminhos da...
Especial 40 anos
Uesb impulsiona crescimento...
Assistência Estudantil
Políticas afirmativas garantem...
Especial 40 anos
Onde são formados os professores da...
Especial 40 anos
Pesquisa e extensão a serviço da...
Especial 40 anos
40 fatos sobre a Uesb que você...
Especial 40 anos
Laboratórios qualificam a formação...
Especial 40 anos
Universidade oferece oportunidades de...
Especial 40 anos
Qual a cara da Uesb dos 40 anos?