Editorial - Edição 11

Pós-Graduação

UESB promove a interiorização de pesquisas em Bioquímica e Biologia Molecular

por Juliana Silva

Principal
Para estimular a criação de novos grupos de pesquisa e a formação de mestres e doutores na área de Bioquímica e Biologia Molecular, em diferentes regiões do Brasil, surgiu, em 2015, o Programa de Pós-Graduação Multicêntrico em Bioquímica e Biologia Molecular (PMBqBM). Nesse mesmo ano, a Uesb teve seu credenciamento aprovado no PMBqBM e, desde 2016, passou a oferecer os cursos de Mestrado e Doutorado na área.

 Com o Programa Multicêntrico em Bioquímica e Biologia Molecular, a Uesb incentiva a pesquisa e contribui para o aumento da produtividade científica na área.

O PMBqBM é um Programa em rede, sendo constituído de instituições associadas e nucleadoras. “As instituições associadas são aquelas onde a implantação de programas independentes em Bioquímica e Biologia Molecular ainda não foi possível. Já as nucleadoras são aquelas que contam com programas de pós-graduação consolidados na área”, explica a coordenadora do Programa na Universidade, professora Janaína Silva de Freitas, vinculada ao Departamento de Ciências Exatas e Naturais (Dcen).

A Uesb é uma das 14 instituições associadas, que conta com o suporte de seis nucleadoras, as quais são responsáveis por co-orientar os mestrandos e doutorandos do PMBqBM. Para a coordenadora do Programa, essa rede incentiva a pesquisa e aumenta a produtividade científica na área. “O PMBqBM fomenta o ensino e a pesquisa, fazendo com que essa produtividade seja estendida a todas as universidades, permitindo ainda que o aluno tenha um acompanhamento e uma formação diferenciada”, comenta.

Nesse sentido, o PMBqBM tem como característica marcante o intercâmbio científico. “Alunos da Uesb, por exemplo, podem fazer disciplinas em qualquer instituição nucleadora ou até mesmo nas associadas. Isso colabora para a difusão de tecnologias e de conhecimento por todo o Brasil e contribui para a consolidação da Pós-Graduação”, comemora a coordenadora. Ela destaca ainda que, até mesmo na Uesb, esse intercâmbio é possível, visto que, apesar do Programa ter sede no campus de Vitória da Conquista, as aulas são ofertadas nos três campi da Instituição.

Esse diferencial também é ressaltado pela doutoranda Thalana Souza. “Dentre os principais pontos positivos de cursar um doutorado em um programa multicêntrico, destaco a consolidação de parcerias entre as instituições nucleadoras e associadas, o que possibilita ao discente desenvolver atividades de pesquisa em laboratórios que forneçam equipamentos e recursos não disponíveis em sua instituição de origem”, conta.

Graduada em Ciências Biológicas e mestre em Ciências Ambientais, ambos pela Uesb, Thalana Souza, realiza, no doutorado, estudo de caracterização de populações naturais de espécies silvestres de maracujazeiros. Para ela, o Programa possibilita desenvolver atividades de pesquisa e qualificação profissional nas áreas de Bioquímica e Biologia Molecular, no interior da Bahia. “Aliado ao meu interesse acadêmico e profissional nessa área do conhecimento, ressalto a importância da implementação de um Programa específico de abrangência nacional em nossa Instituição, e que poderá atender as expectativas de muitos profissionais da região que objetivam realizar uma pós-graduação de qualidade, tanto em nível de mestrado quanto de doutorado”, reforça a doutoranda.

A primeira banca de Mestrado

IMG_0419No dia 3 de agosto de 2018, foi realizada, no campus de Jequié, a primeira banca de mestrado do Programa Multicêntrico de Bioquímica e Biologia Molecular da Uesb, quando a mestranda Tátilla Mendes apresentou seu trabalho.

Formação Continuada

Permitir que o aluno tenha um fluxo contínuo de formação é uma outra característica do Programa de Pós-Graduação Multicêntrico em Bioquímica e Biologia Molecular, como explica a coordenadora: “Se o aluno ingressa no Mestrado, ele não precisa fazer uma nova seleção para cursar o Doutorado. Ele pode apresentar um projeto e ter um fluxo contínuo, que o permite a cursar o doutorado e dar continuidade à sua formação e pesquisa”.

Esse foi o caso da aluna Tátilla Mendes. Depois de cursar Farmácia, na Uesb, ela ingressou na primeira turma do Programa. Em agosto deste ano, a estudante apresentou a sua dissertação do Mestrado, intitulado “Caracterização e atividade antioxidante de polissacarídeos fúngicos”. Agora, já está cursando o Doutorado. “Antes mesmo de terminar o mestrado passei por um processo para dar continuidade ao Programa. Agora, como doutoranda, por meio da modalidade fluxo contínuo, sigo com minhas pesquisas”, afirma.

A aluna ainda destaca a importância que o Programa tem para a sua formação, principalmente no que se refere à produção de conhecimento específico da área, que ainda é incipiente na Bahia: “Sem dúvida, fazer parte do corpo discente do PMBqBM é um grande passo para minha formação e crescimento tanto acadêmico quanto pessoal. Sinto muito orgulho de contribuir, junto ao Programa, com a pesquisa do país e sei que estamos no caminho certo”.