7 – Exposições temporárias

As evidências da ditadura militar (2019)

GALERIA


100 anos da 3° Internacional Comunista

A primeira internacional comunista

Fundada em 1864, seu nome oficial era Associação Internacional dos Trabalhadores, mas acabou ficando registrada na história como Primeira Internacional. Esta organização nasceu como uma tentativa de aglomerar os diversos movimentos proletários da Europa e dos Estados Unidos. Dentro desta organização se deram os primeiros embates teóricos do movimento operário, principalmente entre o grupo liderado por Marx e Engels e a facção anarquista liderada por Mikhail Bakunin. O seu auge se deu durante a Comuna de Paris em 1871, quando mitos membros da organização participaram deste processo revolucionário, porém, três anos depois, em 1874, a Primeira Internacional foi dissolvida devido ao enfraquecimento causado pela perseguição burguesa em nível internacional e por conflitos internos.

A segunda internacional

Surgida Internacional Operária e Socialista, em 1889, ficou marcada na história como Segunda Internacional. Diferentemente da Primeira, a Segunda Internacional era composta por partidos operários formados nas décadas que se seguiram ao fim da Primeira. Parte substancial destes partidos estava ligada ao processo eleitoral de seus países, como os poderosos Partido Social-Democrata Alemão (SPD) e o Partido Trabalhista Inglês (Labour Party). Esta Internacional foi palco de grandes disputas teóricas, que envolveram a questão de organização partidária, como a polêmica entre Lenin e Rosa Luxemburgo acerca do partido de quadros e o partido de mesas.

Seu fim, em 1914, foi marcado principalmente pelo cisma entre os partidos comunistas e a socialdemocracia que apoiou a guerra imperialista, semeando imensa confusão entre os movimentos proletário e comunista internacional, culminando na negação, por parte do movimento comunista, da participação eleitoral, entendendo que esta degenerava os partidos operários, tornando-os mais uma linha de defesa dos interesses da burguesia.

A terceira internacional

Fundada em 1919, a Internacional Comunista nasceu por iniciativa do Partido Bolchevique, um dos principais agentes da Revolução de Outubro. Esta que seria a Terceira Internacional, centralizou as ações e os debates dos partidos comunistas surgidos da ruptura com a socialdemocracia, animados pelo espírito da Revolução de 1917, atacando as iniciativas oportunistas e eleitorais dos antigos partidos operários que haviam migrado para o campo burguês. Porém, com a derrota da revolução internacional, mas especificamente da Revolução Alemã (iniciada em 1919), e a degeneração da Revolução Russa e do próprio Partido Bolchevique, as orientações do debate franco, da defesa intransigente da revolução mundial foram substituídas pela imposição da autoridade dos russos e da sabotagem da autonomia proletária em todos os países. No contexto, a revolução saiu da ordem do dia para a entrada do apoio aos partidos oportunistas e reformistas que pudessem garantir algum apoio ao regime soviético nascido da degeneração da Revolução. Com isso, os agrupamentos revolucionários, os representantes da esquerda comunista anglo-alemã (principalmente Anton Panekoek e Hernan Gorter) e italiana (representada esta por Amadeo Bordiga, entre outros) foram expulsos da organização por discordarem da sua orientação oportunista e antirrevolucionária. Além destes, Trotsky e seus apoiadores também foram expulsos da III Internacional, devido aos conflitos internos da URSS.

A Terceira Internacional foi dissolvida em 1943, como um gesto conciliatório de Stálin para com seus aliados burgueses, desarticulando os partidos que ainda tinham algum contato em escala internacional.

GALERIA



A Educação Pública Brasileira: Memória, História, Utopias e Distopias


Arnaldo Antunes

GALERIA


Páginas

1 2 3 4 5 6 7 8 9

Contato Rápido
Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia